Foca na Série: Sense8

Não acompanho tantas séries quanto eu gostaria, mas das últimas que venho assistindo Sense8 sem dúvidas foi uma das que mais me surpreendeu.

Mais uma série original Netflix, Sense8 traz uma proposta não tão distante das demais séries atuais, porém com um enredo envolvente.

Sense8

Após os oito sensetes verem uma mulher sendo morta, passam a perceber a ligação que possuem, e se descobrem sensetes (pessoas com alta sensibilidade que podem conectar-se entre si). A partir daí a história se desenvolve.

A cada episódio, os sensetes passam a se conectar e ajudar uns aos outros.  É sem dúvidas uma série de tirar o fôlego, com muito drama e ação.

Capheus (Aml Ameen), Sun Bak (Doona Bae), Nomi (Jamie Clayton), Kala Dandekar (Tina Desai), Riley Blue (Tuppena Middleton), Wolfgang (Max Riemelt), Lito Rodrigues (Miguel Angel) e Will Gorski (Brian J. Smith) formam o grupo de sensetes. Cada um com seus dramas e problemas a serem enfrentados, mas agora eles não estão sós.

Além desses,poncho-sense8 um velho conhecido ex-RBD também está na série, Alfonso Herrera, que faz par Romântico com Miguel.

Enfim, Sense8 é uma série fantástica que vale sim maratonar, afinal, acho pouco provável que, você,  após ver o primeiro episódio não vá querer mais e mais.

11272241_828997827180411_752648204_n

Anúncios

Teorias da Conspiração #1

Há inúmeras teorias em torno de séries, filmes, desenhos… Então separei algumas. Entre elas, algumas que fazem sentido e outras tão sem noção que rendem boas gargalhadas.

Featured image

Friends (1994-2004): essa talvez seja a teoria mais bizarra que eu encontrei.

O que você me diria se eu falasse que todo seriado de Friends se passou no purgatório, onde todas as almas estão lá para superar traumas terrenos?! Então, é exatamente isso que teoria diz, na verdade a Rachel morreu fugindo do casamento, e lá encontra velhos conhecidos, que precisam superar danos mundanos. O Chandler, precisa encontrar seu lugar no mundo, Joey precisa aprender a dividir sua comida e Mônica a superar suas manias e complexos.

Este fã maluco, também fala que o Ross é o único que tem alguma noção do que se passa, fazendo referências aos dinossauros que já foram extintos.
Ah, se você acha que parou por aí, gostaria de dizer que o melhor eu deixei para o final, a teoria diz que a Phoebe é na verdade Deus.

Featured image

Harry Potter (1997-2001 livros e filmes): Se você achou a teoria de Friends bizarra, vamos falar sobre uma teoria que perturba os fãs da saga Harry Potter.

Um fã (não tenho tanta certeza disso) veio com uma história de que Harry Potter – sete livros, oito filmes – se passa na verdade no manicômio, e todos os alunos de Hogwarts são doentes mentais, e acreditam ter poderes mágicos. E os trouxas são apenas os pais dessas crianças que tentam trazê-las para realidade.

Se você conhece a pessoa que inventou essa história, dê um Avada nela, pois isso não é coisa que se faça com uma legião de potterheads.

Featured image

Caverna do Dragão (1983 – 1985): Outra boa teoria, e não sei se bizarra, que encontrei na internet, envolve um desenho da época dos meus pais, que eu assisti bastante.

Quem não lembra do Mestre dos magos e dos seis jovens que tentam voltar para o seu mundo? Essa teoria também envolve morte e inferno.
Segundo ela, os jovens morreram em um acidente na montanha russa, então eles vão para o inferno. Vingador e o Mestre dos magos são na verdade o demônio que se diverte com eles.

Emendando uma teoria na outra, há uma que trata do Uni, o unicórnio. Não sei se vocês lembram, mas há uma cena que eles estão quase vindo para o nosso mundo, quando Uni faz eles voltarem. Segundo a teoria, Uni é o demônio, e o único motivo pelo qual eles não conseguem voltar pra casa.

TAG: Liebster Award

Olá, galera!
11657330_850141555066038_920441721_n

Fomos indicados pelo Thiago Silva, do blog Além da Cafeína para responder a TAG ‘Liebster Award’, são algumas perguntas pessoais e sobre o blog.

Vamos lá?

11 FATOS SOBRE MIM

1. Li Harry Potter apenas dois anos após o lançamento do último filme.

2. Minha série favorita é Breaking Bad, e tenho uma eterna relação de amor e ódio com o Walter White.

3. Gasto tempo demais no YouTube.

4. Odeio pessoas preconceituosas.

5. Quero um Pug preto. Ele já tem até nome: Severo Snape.

6. Grifo partes dos livros que mexem comigo.

7. Acho que o Ross e Rachel estavam dando um tempo.

8. Em todos os testes que eu fiz para saber minha casa em Hogwarts o resultado foi o mesmo: Corvinal.

9. E todos os testes que fiz pra saber minha casa em GoT os resultados foram diferentes. O último foi Lanninster.

10. Não tenho uma banda favorita, mas sempre que me perguntam, eu respondo Nirvana, porque se aproxima mais do meu conceito de favorita.

11. Ainda tenho esperança que minha carta de Hogwarts chegue.

PERGUNTAS SOBRE O BLOG

Por que decidiste criar teu blog?

Para compartilhar literatura com outras pessoas. E no conceito que acreditamos da verdadeira literatura.

Em que consiste o teu blog?

Basicamente, três estudantes de Jornalismo com um ponto em comum: paixão pela leitura.
E depois disso uma gama de novidades que estamos descobrindo juntos.

Qual significado do nome do teu blog?

Foca é o nome dado a jornalistas recém formados. Então, juntamos algo que seremos em breve, com o assunto do blog: Foca Literária.

O que te levou a criar o blog?

Mãos e pés. Brincadeira, mas tecnicamente falando foi isso sim. Porém, queríamos escrever mais e compartilhar idéias e boas leituras.

Qual o tipo de post que prefere escrever?

Eu, Layza. Bom, não sou lá muito crítica, apenas digo se gostei ou não. Então, sempre penso em resenhas do tipo “LEIAAAM ISSO É BOM” ou “GASTEM SEU TEMPO COM OUTRA COISA”, então estou gostando de escrever colunas.

Tem algum canal do YouTube associado ao blog? Se sim, põe o link.

Quem são tuas fontes de inspiração?

Sempre assisto/leio dicas, resenhas, colunas do Cuzcuz literário, Cabine Literária, Omelete, Premiere Line, entre tantos outros.

Qual sua primeira impressão quanto ao blog que te nomeou?

Eu realmente gosto do IceBookCream e acho que o Junior e a Miriana fazem um ótimo trabalho.

O que pretende melhorar no teu blog?

Pretendo trabalhar melhor o layout e obter um domínio personalizado e fazer o possível pra trazer mais conteúdo.

Se vê fazendo isso daqui a alguns anos?

Sim. Essa é nossa meta.

Um conselho para os principiantes no mundo dos Blogs?

Falar do que gosta e ter domínio daquilo. Sempre procurar mais.

AS REGRAS

  1. Responder todas as perguntas;
  2. Indicar no mínimo 11 blogs com menos de 200 seguidores para responder essa Tag;
  3. Colocar o selo da Tag;
  4. Colocar o link de quem te indicou;
  5. Seguir meu blog;
  6. Comentar aqui com o link do seu blog quando responder a Tag, para que possamos ler as respostas de vocês.

OS BLOGS NOMEADOS

O casulo das letras

Aventuras na leitura

Je Vasques

Detalhe Simples

Café com mosca

Who’s that girl? 

Perfeita Assimetria

Estante Lotada

Mania de Citação

Surtos Literários

Leia-me Já!

11272241_828997827180411_752648204_n

Resenha: O Espadachim de Carvão

Os Quatro Que São Um após criarem diversas espécies para não se sentirem mais Featured imagesozinhos, acabam brigando e se separando. Cada um vai para sua casa, e lá permanecem por ciclos. Para que um mortal entre em sua casa, este precisa ser convidado, e Barutir foi. Em um universo totalmente diferente de todos que já conheci, estava Adapak, filho de Enki-När, um dos Quatro Que São Um.

Um jovem de pele cor de Carvão, olhos brancos e 19 ciclos de idade. Ao começar o livro, admito que nada parecia fazer sentido, mas não me permiti desisti da leitura. Tenho que agradecer, porque a cada novo capítulo eu mergulhava mais na história do jovem Espadachim. Um livro que transborda ação e mistérios.

Adapak aprende um estilo de luta conhecido como Círculos Tibaul, onde ele, com as instruções dos círculos e suas espadas gêmeas, Igi e Sumi, consegue enfrentar os oponentes que o perseguem durante todo o livro. Ao início de cada capítulo encontramos frases de uma série muito conhecida em Kurgala, Tamtul e Magno, a qual o jovem Espadachim é fã, a primeira e muito marcante é “Qualquer coisa pode ser morta, basta acerta-lá no lugar certo”.

A continuação chega as livrarias em Setembro. O livro do Affonso, me deixou bastante atordoada no início, pois não entendia como o Adapak estava naquele lugar, nem o motivo. Para isso eu precisei esperar até os últimos capítulos. É um livro pra quem aguenta sofrer para obter respostas, e principalmente se surpreender quando elas aparecem!

O livro que tenho em mãos foi a 2° reimpressão, em junho de 2014. E emprestado por minha prima com as seguintes palavras “Você precisa ler, sério é muito legal”. Então, faço minhas as palavras dela. Este é um bom livro brasileiro de fantasia, escrito por Featured imageAffonso Solano, que é nerd, Potterhead e criador do Matando Robôs Gigantes.

Crônicas Vampirescas: Entrevista com o Vampiro

Cada autor tem a sua obra-prima, seja na pintura escultura ou literatura, não imagino outro livro que remeta mais Anne Rice do que os seus filhos vampiros, retratados nos volumes das crônicas vampirescas.

O livro escrito no final dos anos 60, conta como Louis de Pointe du Lac procurou o jovem repórter Daniel para contar a história da sua vida. A narrativa é um relato da sua vida enquanto era mortal e de quando foi transformado pelo antigo e lendário vampiro Lestat, o astro e principal personagem das crônicas seguintes.

A leitura gótica se desenvolve naturalmente e é possível sentir o toque do sombrio, o livro é tão escuro quanto a sua sedutora capa da última edição. É uma obra diferente dos vampiros teens que surgiram nos últimos anos. Uma observação relevante é que eles realmente queimam quando expostos ao sol– apesar disso nem sempre significar sua destruição- e não tem um pingo de restrições que lhe impeçam de desfrutarem os prazeres da imortalidade.

Louis é um personagem romântico, e depois de ler outros volumes da saga o leitor entende que apesar da transformação é um dos poucos que conservou a humanidade conseguindo demonstrá-la em suas atitudes. Um dos melhores momentos do livro é quando uma menina cuja mãe havia sido vítima da peste negra é encontrada pelos dois em uma de suas caçadas, e acaba por se tornar uma jovem e linda vampira.

Quando os anos se passam a jovem filha dos dois vampiros perde a sua inocência e ingenuidade, vemos se desenvolver a personalidade de uma perigosa mulher conservando todos os desejos e curiosidades da vida adulta sem poder realizá-los devido as limitações de sua aparência.

Até o poderoso Lestat se torna vítima de suas conspirações, Louis vira o seu fantoche depois disso, capaz de tudo para realizar os seus desejos, motivado pela culpa que lhe atormenta de ter transformado a criança. Claúdia e Louis embarcam para o velho mundo em busca de respostas sobre as suas origens que não foram concedidas por Lestat. Infelizmente ao encontrar os atores do Teatro dos Vampiros liderados pelo antigo e eternamente jovem Armand, ela encontra bem mais do que procurava.

O que temos em “Entrevista Com o Vampiro” é uma sedutora história cheia de erotismo, intrigas e romances sem distinções, o livro é um perfeito “seja bem vindo ao universo vampiresco clássico”. Quem enveredar por este caminho se prepare para histórias incríveis de criaturas altamente envolventes e viciantes.

Curiosidades: o livro foi adaptado para a telona em 1994, um filme dirigido por Neil Jordan que teve Brad Pitt como Louis, Tom Cruise como Lestat e até então jovem Kirsten Dunst na pele da pequena Claúdia. Anne Rice autora dos livros também foi a responsável pelo roteiro, conseguindo transportar fielmente o contexto impresso para outra plataforma.

Coluna: Existe livro ruim?

Já vou começar respondendo sem medo: não!

O que faz um livro ser bom ou ruim? O personagem que você não gostou? A narrativa que foi cansativa? Ou o final que não foi o esperado?

Para um leitor que já conhece muitas obras, a exigência se torna maior, porém não cabe a ele (nem a ninguém) julgar um livro como bom ou ruim, uma vez que isso é definido por pontos de vista.

Vou dar um exemplo bem recente, levei cinco meses para acabar Êxtase, quarto livro da série Fallen, sempre deixava ele de lado e partia para outro quando ficava chato. Porém, se ele faz com que crianças e jovens dediquem um pouco do seu tempo a leitura, é o que realmente importa.

Uma leitura considerada “boba” abre o caminho para leituras futuras, é por isso que sempre que ouço alguém falar mal de um livro, minha vontade é de falar mais o menos o que eu vim dizer aqui.

Sou potterhead com orgulho, e acredito que qualquer leitura é válida, desde o clássico a um gibi. Em recente entrevista de Dilma para o Jô Soares, a presidente do Brasil disse que na época da ditadura enquanto esteve presa, passou a ler a Bíblia, afinal, era o que tinha no momento. E segunda ela, a leitura foi bastante útil na sua vida.

Conheço pessoas totalmente apaixonadas pela leitura, ao ponto de quando acaba todos seus livros, e nada mais está a mão, acaba lendo até bula. Então vamos parar de criticar a leitura alheia, só por ela não ser famosa ou clássica, vamos mostrar que o importante é ler e conhecer coisas novas, mundos mágicos, dragões, história fantásticas ou da humanidade e até mesmo composições e precauções de medicamentos.

Foca no Personagem: Walter White

Se você não conhece Walter White, volte duas casas e comece a se perguntar por qual motivo ainda não foi assistir Breaking Bad! O Sr. Walter é um professor de química, casado com Skyler White, pai de Walter Jr. e Holly White. Até então um professor simples, que leva uma vida pacata.

image

Após descobrir um câncer, Walter acha que terá pouco tempo de vida, e quer deixar sua família bem financeiramente, antes de morrer. É quando ele conhece Jesse Pinkman, e com ele o mundo da metanfetamina. Bryan Lee Cranston é o responsavel por dar vida a Walter. O personagem tem várias reviravoltas durante a série. Extremamente complexo, o personagem cresce a cada episódio. De professor cumpridor da lei, ao poderoso Heisenberg.

image

Talvez, os fãs da série, assim como eu, tenham um relação de amor e ódio. Ele toma diversas atitudes frustrantes por sede de mais poder, e é nesse momento que o personagem se perder. Mesmo já tendo conseguido dinheiro suficiente para sua família, ele ainda busca mais e mais, o que acaba o afastando de sua esposa e seus filhos. E após cinco temporadas, o final de Walter é digno do grande personagem que ele foi, e da boa pessoa, que no fundo ele nunca deixou de ser.