Seis produções para assistir no Dia Internacional Contra a Homofobia

Hoje, 17 de maio, é o Dia Internacional Contra a Homofobia. O Foca Literária tem o orgulho de dizer que somos composto por algumas pessoas LGBTs e hoje vem aqui apresentar algumas produções que tratam dessa luta diária por igualdade e respeito.

Em 17 de maio de 1990 a Organização Mundial da Saúde (OMS) desconsiderou a homossexualidade da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados a Saúde (CID), tornando o termo “homossexualismo” inapropriado para uso.

Confiram as seis produções que selecionamentos para vocês!

A Garota Dinamarquesa

Filme trans
A Garota Dinamarquesa

A Garota Dinamarquesa Esse hino de filme está disponível na Netflix! A narrativa aborda a vida de Lili Elbe, a primeira pessoa trans que se tem notícia a submeter-se a uma cirurgia de redesignação sexual mundo. O filme mostra toda a fase de descoberta, angustias e sofrimentos. O filme é lindo e delicado. Vale muito a pena conferir.

Carol

Filme lésbico
Carol

“Carol” é um filme do coração! É delicado e angustiante. Contextualizado em Nova York, de 1945, a história relata o romance entre Carol, uma mulher em processo de separação e lutando pela guarda da filha e Therese, uma jovem vendedora de loja que sonha em ser fotógrafa. O filme é daqueles que a gente suspira o tempo todo! Seja pela linda história entre elas ou pelas dificuldades enfrentadas pelo casal, em uma sociedade que está começando a aceitar o divórcio, mas rejeita a homossexualidade.

Free Fall

Filme Queda Livre
Queda Livre

O filme Free Fall é uma produção independente da Alemanha, que teve estreia no festival de Berlim em fevereiro de 2013, recebendo boas críticas. A história narra a vida de Marc Borgman (Koffler), um policial de personalidade arrogante que inicialmente não se dá bem com seu colega de quarto, Kay Engel (Max Riemelt – o Wolfgang da série: Sense8) apresentando até mesmo um comportamento agressivo com o mesmo. Após um confronto físico durante um exercício, ele vai pedir desculpas a Kay pelo seu comportamento e acaba começando uma amizade que posteriormente se desenvolve em um relacionamento que pode ser considerado conflituoso. Os dois começam a correr juntos regularmente e Koffler não aceita inicialmente a sua atração, mas acaba não conseguindo resistir aos desejos da carne e do coração por muito tempo. O filme está disponível no catalógo da Netflix e pode ser encontrado com o título de: Queda Livre.

 

Me Chame Pelo Seu Nome

Filme LGBT
Me chame pelo seu nome

O filme que é um tapa na cara da homofobia.

A história é envolvente e sensível e o cenário espetacular! “Me Chame Pelo Seu Nome” é um romance que se passa em um belo verão, no norte da Itália, em 1983. Que clima delícia! Esse filme é completamente lindo! Mas tem um monólogo do pai para o filho que consegue ser mais lindo ainda e faz a gente chorar assistindo.

Orações Para Bobby 

Prayer for bobby
Orações para Bobby

Prayers for Bobby é um drama baseado em fatos reais, que mostra a luta de Mary Griffith para aceitar o filho gay. O filme foi lançado em 2009 e representa uma realidade para muitos filhos LGBTs que vivem em conflito com pais e familiares conservadores. O desfecho da história é comovente. Um bom filme para ver em família e mostrar que a homofobia nos mata todos os dias, e que ter o apoio deles é de extrema importância para permanecermos vivos.

Queer as Folk

Série queer as folk
Queer as Folk

Queer As Folk é o nome da série estadunidense e canadense, produzida pelo canal Showtime e Temple Street Productions. O nome do seriado é uma brincadeira com um ditado em inglês, de “ninguém é tão estranho como nós” (“nobody is so weird as folk”), para “ninguém é tão gay como nós” (“nobody is so queer as folk”).

Queer As Folk narra a história de cinco homens homossexuais que vivem em Pittsburgh, Pennsylvania: Brian, Justin, Michael, Emmett e Ted. Compondo o elenco principal, ainda temos o casal de lésbicas, Lindsay e Melanie e a mãe orgulhosa de Michael, Debbie. Essa história é sobre família, amizade, e principlamente aceitação de diferenças.

Este seriado pode ainda ser considerado um marco na luta dos direitos LGBT+, pois investe em uma trama em que consiste em mostrar os homossexuais como pessoas comuns e tão complexas como qualquer outra, vivendo as mais diferentes rotinas, lidando com dramas que até hoje são contemporâneos e ainda considerados tabus em determinadas locais. Como se não bastasse, as dificuldades e conquistas desta comunidade são brilhantemente retratadas nesta produção que verdadeiramente abriu um leque de possibilidades para quem estava querendo sair do ármario em pleno anos 2000 e teve como suporte personagens complexos e bem desenvolvidos podendo ser usados como possíveis referências.
A série contou com cinco temporadas e um total de 83 episódios. Sinceramente, só de escrever esse texto está me dando uma nostalgia e vontade de assistir novamente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s